Marketing Digital

Em um mundo cada vez mais conectado

marketing digital, transformação digital, inovação, experiência do usuário, experiência do cliente, comunicação digital, pontos de contato. canais digitais,

Por Fernando Estanislau, CEO 

Sei que não é nada original a frase acima, mas resolvi começar pelo óbvio já que, a cada 10 matérias que leio sobre marketing digital, a frase acima está presente em pelo menos nove.

Não é para menos, já que de cada 10 gerentes e diretores de marketing, 9 deles ainda precisam entender o que está acontecendo na publicidade atual e ainda não se deram conta das necessidades de revisão nos planos de comunicação de suas empresas. Isso porque suas decisões ainda precisam estar pautadas em dados e pesquisas que irão comprovar e chancelar suas decisões.

É comum também vermos nas mesmas matérias os números totais de usuários e acessos, tanto da internet quanto devices (como smartphones), alardeados pelo seu crescimento. Caso a dúvida esteja na escolha da melhor audiência, você irá encontrar inúmeros especialistas comprovando que, em apenas uma simples configuração de perfil de campanha no Google ou no Facebook Ads, você terá mais usuários impactados do que no horário nobre da TV, em um canal líder de audiência. Se o sonho de qualquer anunciante é estar lá — pela audiência, é claro — já pode festejar porque agora é possível atingir um número muito maior de pessoas pelos canais digitais.

Mas, então, por que raios ainda pairam tanta dúvida e questionamento quanto à realidade e o investimento nos meios digitais? Vem à minha cabeça o saudoso Rogério Cardoso, no papel de Rolando Lero, na Escolinha do Professor Raimundo.

Ele responderia à pergunta:

“Ó, amado e magnânimo mestre, seria pelo glamour, resultado das altas quantias investidas em marketing anualmente pelas empresas e pela importância que tais investimentos tinham em catapultar as carreiras e salários desses homens de marketing, amado mestre? Ou seria porque bastava estar na boca do povo, com os populares comentando sobre seu produto ou sobre aquele comercial que passou no intervalo da novela no dia anterior? E isso criava a falsa impressão de que se está na boca do povo está na mente do seu público-alvo? Ou seria ainda, amado mestre, obra de Madame Vuvu, a famosa da mídia que enfeitiça seus clientes, as grandes agências com seu charme e elegância e, por isso, os tais meios tradicionais ainda abocanham 85% das verbas?”

E Raimundo responderia:

“Não, seu infeliz! É porque os canais digitais são uma matéria e atividade que se renovam a cada dia, e, por essa ilustre razão, assim como o mundo, você precisa estar cada vez mais conectado nas suas transformações, pois elas demandam muita dedicação e aprendizado. E isso ainda nenhuma escolinha de marketing e publicidade tem a velocidade para ensinar e preparar seus alunos, futuros líderes com suas verbas mal distribuídas.”

Parafraseando Raimundo Nonato ou não, esse é o objetivo deste blog e de seus posts: ser uma fonte de informação, provocar a discussão e o fomento para as iniciativas de comunicação e marketing, de nossos clientes, parceiros e amigos, participantes do dia a dia desta atividade que é tão desafiadora e instigante.

Segura aí, vou ali ler um briefing e já volto. É vapt, vupt!

 

Deixar comentário.

Share This